segunda-feira, junho 02, 2008

Quero uma escada de preferência sem degrau...

Banda Los Porongas não é mais do 'cast' do selo Senhor F Discos
A opção pelo o "eixo"

* Da Redação

A banda Los Porongas não pertence mais ao "cast" do selo Senhor F Discos. A informação é da própria direção do selo, em nota divulgada nesta sexta-feira em sua página do MySpace. Na nota, o selo diz "estranhar a decisão que rompe com uma trajetória que, em pouco tempo, deu visibilidade nacional para a banda". Veja a íntegra da nota abaixo.

Nota de esclarecimento

A banda acreana Los Porongas não pertence mais ao "cast" do selo Senhor F. Por decisão unilateral, a banda assinou contrato com a produtora paulista Barravento Artes. Com isso, o selo Senhor F Discos não mantém mais nenhum vínculo presente e futuro com Los Porongas. Os direitos sobre o disco de estréia, lançado em 2007, bem como a edição do DVD licenciado pelo Itaú Cultural, permanecem com o selo.

O selo Senhor F Discos estranha a decisão que rompe com uma trajetória que, em pouco tempo, deu visibilidade nacional para a banda. Ao longo desse período, o selo propiciou condições e qualidade técnica inéditas para a banda gravar seu primeiro disco. Também contribuiu decisivamente para a orientação artística e estratégica da carreira, que resultou rapidamente em novos espaços, inclusive internacionais, e produtos.

Mais do que o afastamento da banda do selo, Senhor F Discos lamenta a condução do processo que reproduz velhos esquemas supostamente superados. Assim, os fatos apontam para o afastamento da banda dos espaços, conceitos e compromissos que norteiam a cena independente. O selo Senhor F, por sua vez, mantém sua trajetória de apostar na construção de uma nova realidade, que contemple não apenas um novo “mercado”, mas também novas formas de relacionamento.

Senhor F Discos
Fernando Rosa & Philippe Seabra
www.myspace.com/senhorfdiscos

9 comentários:

  1. blá blá I knonw blá blá You said Revolution? blá blá

    ResponderExcluir
  2. Essa é a versão do Senhor F. Seria interessante ver uma da banda. Uma curiosidade: a Vanguart também é agenciada pela Barravento.

    ResponderExcluir
  3. Neto, roubaste minha pauta sem saber. Hahahahahha... Ontem enviei um e-mail para o Los Porongas tentando agendar uma entrevista. Vamos ouvir os caras, antes de qualquer conclusão. Ainda tô aguardando repsosta.

    ResponderExcluir
  4. isso ai helder,vamos mostrar os dois lados da coisa.

    Eu não conclui nada, na verdade ...
    you said revolution?bláblá.... :D

    ResponderExcluir
  5. discurso - práxis - discurso

    A questão não é cobrar explicações...reedições, lidamos apenas com isso...digo: não seria interessante lutar pela solidificação de um selo local - no caso o Catraia? Esta pergunta deveria ter sido melhor explorada, na ocasião da saída dos Porongas do Catraia para o Senhor F! Uma reedição em proporções diferentes.

    Não devemos criar ojeriza em relação aos Porongas. Não estamos tratando da questão "a traição da cena independente" - até porque, esta cena mostra-se profundamente dependente das migalhas oferecidas pelo estado, ou seja, não existe cadeia produtiva, não existe público pagante, não existe produto, nem idéia, muito menos ideologia.

    Odeio gente indefinida. Os Porongas não são indefinidos - estão visivelmente decididos a se consolidar. Seja no eixo, fora do eixo, em cima da carroça, o que for.

    Gosto muito do som da banda.

    Não gosto de alguns discursos que circundam a nomeada "cena independente".

    discurso - práxis - discurso - práxis

    opta-se por usufruir do que já foi construído...ou, dá a cara a tapa e tenta desenvolver novas lógicas para o mercado, para a convivência, para a arte, para a vida maluca destes seres humanos.

    ResponderExcluir
  6. temos q ouvir realmente os dois lados para chegarmos a uma conclusão lógica na história.
    mas se os integrantes consideram
    q assim as coisas tomarão um rumo melhor,
    estou aqui para ser um dos primeiros a concordar com eles.
    o/

    ResponderExcluir
  7. "Os Porongas não são indefinidos - estão visivelmente decididos a se consolidar. Seja no eixo, fora do eixo, em cima da carroça, o que for."

    Exatamente! E fazem o correto.

    Aparentemente optaram por uma parceria que é melhor pro trabalho deles. E pronto. O resto, incluindo o discurso amargurado do Senhor F e o chororô dos "independentes" que possam ver isso como algum tipo de traição, é irrelevante.

    Vou achar interessante também se futuramente assinarem com uma grande gravadora, que possa lhes dar uma estrutura melhor pra produção de um cd e pra divulgação da banda, embora isso seja o terror de alguns. Músico é uma profissão como qualquer outra e quem vive disso também deve abraçar as boas oportunidades na vida profissional. Eles não são hippies pra viver com cubo cards.

    ResponderExcluir
  8. Não precisamos ouvir os dois lados. Porongas pensa friamente no melhor pro futuro da banda, eles sabem o que estão fazendo e se essa gravadora realmente for melhor, então estão certissímos, nesse meio não há amizade, Senhor F nunca deu nada de graça pros Porongas, Porongas trabalhou e muito, se as portas se abriram mostrando coisas melhores pela frente, então eles fizeram o certo, afinal, se eles mesmos não correrem atrás das melhores oportunidades, não serei eu e nem você que vai fazer isso por eles. É isso mesmo, continuem!
    o/

    ResponderExcluir
  9. Também não vejo que manter uma postura a favor da música de qualidade (e porque não independente?) signifique não estar aberto a maior visibilidade comercial para banda. Isso não necessariamente vende ou corrompe o sentimento e a essência do som deles.

    ResponderExcluir