quinta-feira, outubro 23, 2008

Manual para se tornar um (pseudo) cult

Tornou-se um fato, a moda agora é ser cult. O problema é que a maioria das pessoas não consegue e no máximo chega a ser um pseudo cult. É algo que vai do norte ao sul do país e do mundo. Todos querem ser admiradores dos filmes vanguardistas-experimentais-setentistas do Godard e amantes da literatura introspectiva-niilista-pós-modernista de Clarice Lispector, afinal, para ser um cult, você precisa ter conteúdo cult. O problema é que adquirir cultura é cansativo, você tem que ler, estudar, se envolver com gente cult... por isso, para poupar pretendentes a serem cults que não sabem por onde começar, trago para vocês o Manual de Como Ser (Pseudo) Cult. Com pequenos passos que podem ser seguidos até pelos amantes da Mulher Melancia e dançarinas do Créu, vou ensinar você leitor esperto a como carregar o título de cult, ou alternativo, ou underground, ou indie, ou o que você quiser:

Passo 1 – Tenha grana e tempo sobrando
Lógico que você NUNCA vai admitir isso, afinal, você não vai ter a grana na verdade, pois você vai ser sustentado pelos pais ou por aquela vó aposentada pelo TSE que ganha uma nota e só tem o querido netinho pra corujar. Enfim, a grana não é sua, mas você gasta. E gaste bem, com livros, filmes, ingressos para o teatro, bandas de garagem. Carro? So se for usado e surrado. Ou como você vai poder levantar a bandeira do preço alto para os eventos culturais em frente ao teatro municipal se você tem um Corolla esperando na saída? Com a grana, você não precisa se prender a coisas nada culturais como trabalho com carteira assinada, faça no máximo uma faculdade voltada para artes, comunicação ou sociologia (Filosofia, Música, Artes Cênicas, Letras, Jornalismo, Publicidade e Propaganda dão status, mas Ciências Sociais é a top). E com o tempo livre sempre se dedique a programas alternativos, bares undergrounds, cinema de artes, sebos (livraria é coisa de rico) e por aí vai.

Passo 2 – Seja sempre a frente do seu tempo
Arthur Rimbaud é um dos poetas franceses que mais marcaram o mundo (mais pela sua vida gay es-cân-da-lo-sa, do que pelo seu trabalho, enfim...). Sua obra é considerado sempre “a frente do seu tempo” (ou seja, ele morreu pobre pra ser reconhecido depois). Logo, se você deseja ser conhecido como alguém cult, você tem que ser moderninho e transgressor total. Defenda sempre idéias com um fevor absurdo, suba em cima da mesa, tenha o dom da oralidade, saiba chamar a atenção de todos para o seu redor. Torne-se um incompreendido (mas no campo das idéias sociais, não vem com nada emocional não ou tu vai ser considerado emo e não cult).

Passo 3 – Tenha estilo
Você acompanha o Fashion Rio? Então você não é culto. Você acompanha o São Paulo Fashion Week? Então você é culto só se for pra estudar tendências de comportamento e diversidade capitalista . A sua pose tem que ser inabalada. Você não pode ser escandaloso (ou vai ser bixa louca), mas você tem que saber chamar a atenção, principalmente quando você esta explicando porque aquele filme é uma droga e você prefere o livro (que você não leu). Fume muito Marlboro, Golden Gate, Gudang Garam, mas Free, Carlton e Master não pode. Só beba destiladas, Absolut comanda (mas compre-a em grupo, NUNCA só você, é coisa de burguês), vinho também, principalmente em sarais. Tenha sempre aquele ar de esnobe, aquela pose blasé, cuidado com a gesticulação, desmunhecar pode, falar arrastado pode, usar gírias em inglês pode, em português NUNCA. Sempre critique quase tudo, principalmente em espetáculos, mas quando demonstrar que gostou de algo, bata palmas sempre de um jeito que o difira do resto da multidão, quase psicodélico, de preferência com o cigarro na boca, gritinhos e assobios, sempre mantendo a pose de esnobe.

Passo 4 – Saiba vender a sua imagem
Saiu com os amigos para um café sem açúcar? Então ocupe uma cadeira só com sua bolsa de tiracolo (NUNCA use mochila, mochila é coisa de universitário que tem estágio), e sua bolsa tem que ser grande, mas nunca o suficiente para você, e cheia de buttons personalizados. Sempre deixe a sua edição da Bravo!, Caros Amigos e Carta Capital a mostra. NUNCA use roupas de marca. Sempre prefira blusas listradas (preto/vermelho ou preto/branco) jeans surrados ou bermudas, além do óculos de armação grossa preta ou branca e o All Star que pode ser qualquer modelo contanto que seja All Star, pulserinhas artesanais também dão um toque. Cabelo grande bagunçado (tipo Arctic and Monkeys) para meninos e cabelo preto escuro curto ou ondulado (tipo Karine Alexandrino) para meninas. Sempre domine as conversas, principalmente depois de filmes alternativos ou peças patrocinadas pela Lei de Incentivo a Cultura, mostrando seu conhecimento de caso.

Passo 5 – Morte ao POP
Você não assiste rede Globo porque ela “manipula, distorce os fatos, aliena e lança musicas como Créu em nível nacional”. Séries de sucesso como Heroes e 24 Horas devem ser evitadas ao extremo, de Lost você deve gostar apenas da primeira temporada. Você não escuta rádio, só podcast’s especializados. Cinemark NUNCA. Porque só passa blockbusters comerciais Hollywoodianos. Nada de livros do Harry Potter, tire a fantasia da sua vida, exceto O Senhor dos Anéis e a primeira trilogia (feita) de Star Wars, mas nada de fanatismo e cosplays. Sempre tenha jazz no seu MP3, mas ele não pode ser da Apple. E sempre esteja ligado a iniciativa científica (essa bem menos), aos coletivos culturais, selos independentes, cenário underground e o mesmo do gênero. NUNCA concorde com o que todos concordam. Gente culta tem sempre opinião própria (é do contra).

Esse é um Passo a Passo de ficção, mas qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência.

E para aqueles que querem ser cults e pseudo intelectuais na área do cinema, fica aqui o ótimo vídeo passo-a-passo "Como fazer um curta-metragem experimental, cult e pseudo-intelectual".


E como diziam aquelas programas-propagandas que passavam na Manchete: “Oh, isso é incrível!”

20 comentários:

  1. Adorei o post!
    Isso me fez ver quantos pseudos intelectuais eu conheço
    Hauhauhahuahuahuhau

    ResponderExcluir
  2. Quando a gente pensa q ja viu de tudo...
    Ai papai, só rindo mesmo. Me maaaaaaata!

    ResponderExcluir
  3. Fiz umas anotações aqui e acho que o que vai pegar é o lance do All Star. Meu pé fica maceta de All Star. Tsc!

    ResponderExcluir
  4. * saraus

    O post ficou massa, apesar que ele tem um público definido, devido a forma expressa, ou seja ele fica focado 70% em comportamento e postura de um homem para não parecer mtu gay. Tirando o all star e o cabelo preto escuro ou enrolado para mulher.

    Mas enfim, concordo com a Milena.. conhecemos mtus da espécie!
    E pow, não tem jeito: Cult tem estilo!

    ResponderExcluir
  5. O foda de comentar um texto tão bem escrito é ler certas "conclusões" de quem não entende o que lê... mas, são riscos da escrita pública =P

    Amor, o texto é ótimo. Qdo vi o título no link do seu blog, corri pra ver se alguem tinha te plageado.. rsrsrs

    Mas, felizmente, seu jeito próprio de escrever é inconfundível.

    Parabéns (tipo assim... rsrsrs)

    ResponderExcluir
  6. Esse povinho que usa boina, All Star e cigarro... sei naum hein...
    uahuauahuahuaau!!!!

    ResponderExcluir
  7. Kethleen, expressou tudo que eu sentia.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    (6)

    ResponderExcluir
  8. Cara, tenho um amigo imaginario do gmail que tem essas caracteristicas. Incrivel!

    ResponderExcluir
  9. Samuel, já que você divulgou esse manual e contou todos os meus segredos, vou ter que te matar.

    P.S: com um Marlboro aceso e a verborragia inconfundível de quem não sabe o que está falando, mas fala! Como diria Focault...

    E o comentário da Kethleen foi o melhor comentário ever. Hahahahaha

    ResponderExcluir
  10. Ui. ‘conclusões’ mal entendidas sobre o texto?
    Ou sobre certo comentário?
    A questão não é se foi bem escrito ou não.
    Conteúdo.

    ResponderExcluir
  11. Yuri cara, tu é muito engraçado, puta merda!

    ResponderExcluir
  12. hahaha..

    Engraçado julgarem se entendi ou não o que li.(importante isso neh) Ou será que foi outros que não entederam o que leram no meu comentário?
    Leia-se: Eu disse que é focado 70% das *contextualizações* pra um homem não parecer gay. Mentira? Até é engraçado, mas ficou nisso, o que acaba, de certa forma, extratificando o público geral. Entre muitas outras coisas que notei, decidir comentar isso.
    Dói?? oO
    Ou seja, Não quer dizer que é um texto para gays, (e msm q fosse pra gays, e daí?) nem é uma agressão ao autor, já que tenho que concordar com o que Yuri afirmou, a questão não é se foi ou não bem escrito, pq ng tá (e nem deveria) aqui pra julgar(mtu menos pra dar alfinetas) e menos ainda pra 'oprimir'alguém.
    Então, como qualquer pessoa que expõe, em um blog como é o caso, tanto autor, como quem comenta, tem que aguentar os desdobramentos.. que como já se viu várias vezes por aqui não são com intenções louváveis ou relevantes.

    ResponderExcluir
  13. Inevitavelmente, quem comenta um post o está criticando, seja lá d q forma for.
    E como faço de praxe, e mais, como me sinto na liberdade por ser amigo do autor, vou comentar:

    O primeiro parágrafo não me pareceu sem graça como geralmente são, me lembrou um daqueles anuncios de produtos da TABAJARA. HAUAHUAHUA

    A partir dessa impressão, vi q o texto prometia ser legal. E foi!

    Dei boas risadas com as piadinhas ácidas típicas desse autor.

    Tendências homosexuias?! Só pra quem gosta d ver preconceito nas coisas.

    Excelente texto, me fez rir... e comentá-lo!
    Bjusmeligamassósenãoforacobrar!!!

    ResponderExcluir
  14. "(mais pela sua vida gay es-cân-da-lo-sa, do que pelo seu trabalho, enfim...)"
    Se isso não é uma brincadeira com "tendências homossexuais", então acho que até o próprio Samuel é preconceituoso mesmo! :D

    ResponderExcluir
  15. Anônimo9:38 PM

    Eu estudo publicidade, e tenho que adimitir que grande parte dos amigos de curso são pseudo cults, só que eu gostaria de deixar registrado que essa grande maioria acaba ou por morrer de overdose de drogas ou de Aids, então os que sobram são PUBLICITARIOS DE VERDADE!, não confundam Pseudo Cults com Publicitarios, nossa Classe é formada por pessoas que buscam tudo na sociedade como Referencia (Menos os cults, pois eles são um monte de amebas que não consomem portanto não são relevantes.)

    ResponderExcluir
  16. Bêe freitas7:38 AM

    Gostei...
    Até conheço um com todas essas características !!

    ResponderExcluir
  17. Tá cada vez mais difícil ser você mesmo sem alguém te enquadrar em algum padrão e fazer um texto sobre isso

    ResponderExcluir
  18. Parabéns...Muito real!

    clap clap clap clap.

    ResponderExcluir

  19. Difícil vai ser arrumar esta vó que banque as coisas. Mas o resto eu já testei e funciona mesmo! hahahahha

    Mas já fui excluido pela comunidade quando fui flagrado cantando "Eguinha pocotó em bossa nova" ... hahhahhaa

    ResponderExcluir